Receitas mais recentes

Onde comer no Aeroporto Internacional da Filadélfia

Onde comer no Aeroporto Internacional da Filadélfia


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Atrasos, cancelamentos e tráfego inesperado podem facilmente prejudicar os planos de viagem, muitas vezes resultando em horas de folga no aeroporto. Se você estiver preso no Aeroporto Internacional da Filadélfia, há ótimas opções de restaurantes em seus terminais. De guloseimas portáteis a vinhos finos, as opções manterão sua mente longe do estresse de viagens.

Bebidas: Vino Volo é uma rede de bares de vinho de aeroportos com locais pós-segurança nos principais aeroportos dos EUA, como o Aeroporto Internacional de Boston Logan. O restaurante aconchegante oferece uma grande variedade de vinhos tintos e brancos de todo o mundo, e os entusiastas do vinho podem pedir vinhos em taça, duas ou três taças, ou garrafas de vinho acompanhadas de pequenos pratos gourmet como tábuas de queijos e carnes curadas a seco. Seu prato de assinatura é salmão defumado e crostini de caranguejo. Quatro locais do Vino Volo estão no Philadelphia International: o Conector B / C, o Conector D / E, no Portão 9 no Terminal B e no Portão 17 no Terminal A – Oeste, então, onde quer que você se encontre, você provavelmente encontrará este local imperdível.

Lanche: Filadélfia é conhecida por vários alimentos fantásticos, entre os quais o pretzel macio e quente está classificado perto do topo. O Philly Soft Pretzel Factory cria alguns dos melhores petiscos de massa em toda a região - todos são enrolados à mão, assados ​​na hora todos os dias e servidos "Hot Outta The Oven". Embora a loja de serviço rápido no Terminal A ofereça várias opções de pretzel, de canela a cheesesteak, sua melhor aposta é ficar com a versão salgada para viagem. É o lanche mais fácil, barato e delicioso que você pode comprar para o seu voo.

Refeição: Chickie's & Pete's é um bar de esportes conhecido por seus Crabfries, que começou no bairro de Mayfair, na Filadélfia, em 1987. Nomeado bar esportivo número um da ESPN na Costa Leste, o Chickie's & Pete's tem quatro aeroportos no Terminal D, Terminal E, Terminal C, e Terminal A-West, todos com um ambiente familiar. O local oferece frutos do mar frescos, além de bifes de queijo e sanduíches, e se você tiver tempo para se sentar para comer, os mexilhões, tintos ou brancos, acompanhados de pão italiano são fantásticos. Não importa o que você tente, você deve pedir os Crabfries, batatas fritas crinkle-cut inventadas pelo proprietário Pete Ciarrocchi como uma forma de usar o tempero restante que era usado nos pratos de caranguejo de verão de seu restaurante durante todo o ano; o resultado foi Crabfries. Eles são servidos com dois pedidos de molho de queijo branco cremoso.

Cameron Simcik é o editor da Philadelphia Travel City.


Os melhores buffets à vontade na Filadélfia

Naqueles dias em que um aperitivo, uma entrada e uma sobremesa simplesmente não bastam, um ótimo bufê é o melhor. É ideal para obter uma grande variedade de pratos e satisfazer qualquer desejo. Aqui estão alguns novos lugares para visitar este ano. Você sairá de barriga cheia. Observe que vários desses restaurantes oferecem buffets apenas em dias selecionados.

Warmdaddy e rsquos
1400 S. Columbus Blvd.
Filadélfia, PA 19147
(215) 462-2000
www.warmdaddys.com

Warmdaddy & rsquos celebra a experiência sulista de ritmo e blues com música ao vivo e comediantes, uma atmosfera calorosa e amigável e um menu de favoritos do & ldquodown-home & rdquo. O jantar é oferecido todas as noites da semana, mas o brunch de domingo é particularmente popular. Visite entre 10h30 e 15h00. para desfrutar de uma apresentação de jazz ao vivo e buffet elaborado. Anseie por clássicos da soul food, como queijo cheddar grits, frango frito, inhame caramelado, pão de milho, descasque e coma camarão, homefries, salada de frutos do mar e biscoitos, além de uma estação de omelete, estação de waffle em constante mudança (com especialidades como waffles de batata doce) , frutas, sobremesas e muito mais. Este banquete ao estilo sulista custa US $ 24,95 (excluindo bebidas, impostos e gorjeta) na maioria dos domingos e US $ 25,95 nos feriados. Somente com reserva.

Sweet Lucy e rsquos Smokehouse
7500 State Road
Filadélfia, PA 19136
(215) 333-9663
www.sweetlucys.com

A Sweet Lucy & rsquos é conhecida por seu churrasco ao estilo sulista com autêntica cor, cheiro e sabor de nogueira defumada. Peito de carne, peru, frango, porco desfiado: tudo cozido baixo e lento, produzindo carnes macias, suculentas e saborosas. Você pode vir de terça a sábado para pedir à la carte, mas segunda-feira à noite é a hora de visitar para experimentar de tudo. A partir das 17h às 20h30, Sweet Lucy & rsquos oferece um buffet livre com carnes defumadas, acompanhamentos favoritos como mac e queijo assados, pão de milho caseiro, feijão e purê de batata, além de pãezinhos frescos, sobremesas variadas e drinks . O custo é de US $ 21,99 por pessoa. Crianças de 5 a 10 anos comem pela metade do preço, e crianças menores de 5 anos comem de graça.

Relish
7152 Ogontz Ave.
Filadélfia, PA 19138
(215) 276-0170
www.relishphiladelphia.com

Quando você compra o autoproclamado & ldquobest buffet de brunch à vontade na Filadélfia, & rdquo, você tem que cumprir a promessa. Relish pretende fazer exatamente isso no sábado e domingo, das 10h30 às 15h00. Com um buffet de 12 metros de pratos sulistas modernos e favoritos no café da manhã e almoço, lá & rsquos com certeza serão algo para todos. A rabanada Challah e os grãos cremosos de queijo com camarão são opções populares no café da manhã, enquanto o frango frito crocante e o peixe frito são os destaques do almoço. Além disso, há duas estações sob encomenda: uma para massas e outra para waffles e omeletes. Saladas frescas sazonais e sobremesas caseiras completam a festa. O brunch custa US $ 24,95 por pessoa.

Fogo de Chao
1337 Chestnut St.
Filadélfia, PA 19107
(215) 636-9700
www.fogodechao.com

Fogo de Chao é uma experiência gastronômica única que combina serviço de mesa, jantar em estilo familiar e buffet, tudo em uma refeição. Neste restaurante brasileiro em estilo churrasco, chefs gaúchos fatiam e servem carnes assadas na brasa na sua mesa. Para acompanhar as carnes, você também pode degustar acompanhamentos tradicionais como pãezinhos de queijo, polenta e arroz com feijão servidos em estilo familiar. Além das carnes e acompanhamentos ilimitados que trazem à sua mesa, o & ldquoMarket Table & rdquo oferece um buffet de saladas frescas, acompanhamentos e queijos inspirados nos mercados do Brasil. O jantar custa $ 52,95 (excluindo bebidas, sobremesa, impostos ou gorjeta), e o almoço é oferecido de segunda a sexta-feira por $ 35,95. Se você gosta de pular as carnes e simplesmente desfrutar do buffet Market Table, você pode jantar por apenas US $ 24,95. Você também pode optar pelo robalo mais Market Table em vez da experiência churrasco completo por US $ 42,95 por pessoa. Crianças de 6 anos ou menos comem de graça, e crianças de 7 a 12 anos pagam metade do preço.

Ruby Buffet
1100 S. Columbus Blvd.
Filadélfia, PA 19147
(215) 468-8889
www.rubybuffet.com

Custando apenas US $ 12,99 para o jantar e US $ 7,99 para o almoço, o Ruby Buffet é o bufê mais acessível da lista. O local Pennsport oferece uma grande variedade de cozinha chinesa, japonesa e americana, junto com muitas sopas, saladas e sobremesas. Pernas de caranguejo, frango ao coco, linguado recheado, perna de cordeiro e camarão empanado com cerveja são apenas alguns dos favoritos, mas com mais de 200 pratos que rodam regularmente, sempre há algo novo para experimentar. O brunch também está disponível aos domingos.


Onde Comer no Aeroporto Internacional da Filadélfia - Receitas

Muito antes do sanduíche de porco assado - ou mesmo o cheesesteak - cimentar o lugar da Filadélfia na história da culinária, veio o hoagie. Craig LaBan encontrou um destino em Fishtown que os atende muito bem. Também nesta semana: deliciosa comida mexicana de uma cozinha anexa àquela loja de hoagie, além do melhor da comida vegana chinesa, dicas de um dos melhores chefs de confeitaria de Philly e notícias de restaurantes.

Se precisar de notícias de comida, clique aqui e me siga no Twitter e Instagram. Envie dicas, sugestões e perguntas por e-mail aqui. Se alguém lhe encaminhou este boletim informativo e você gostou do que está lendo, inscreva-se aqui para recebê-lo gratuitamente todas as semanas.

Poderia ser este o hoagie perfeito?

O crítico Craig LaBan revisita aquele clássico da Filadélfia, o hoagie, com uma parada no Mercado de Castellino em Fishtown. O segredo de fazer sanduíches? “Cada elemento é pensado”, diz o coproprietário Cara Jo Castellino. “Cada colocação de cada carne vai no mesmo lugar uniformemente todas as vezes. Cada mordida deve ser igual. ” Até a maneira como você rega o petróleo é importante, diz ela. Alface iceberg? Rúcula é falada aqui, pessoal.

Algumas das melhores comidas mexicanas de Philly vêm de uma vitrine de comida para viagem em Fishtown

Falando do Mercado de Castellino: A cada dois domingos, como Craig nos diz, Mariana Hernandez e seu marido Julio Rivera produzem uma bela variedade de sopes, tamales, tostadas e similares da janela da antiga barraca de gelo de água atrás da loja. A colaboração chama-se Last Abuela. Dica: o próximo pop-up, em 25 de abril, está quase esgotado. Defina um lembrete para terça-feira, 4 de maio, quando o pedido for retomado.

Onde encontrar comida chinesa vegana

É possível encontrar comida chinesa vegana deliciosa, e a redatora da equipe Grace Dickinson apresenta uma lista de locais na região da Filadélfia para bolinhos sem carne, macarrão dan dan e tofu mapo, junto com pratos sino-americanos como tofu e gergelim do General Tso "frango."

Aprenda com um dos melhores chefs confeiteiros da cidade

Depois que a chef de confeitaria executiva do Parc, Abby Dahan, foi paralisada na primavera passada pela pandemia, ela se manteve ocupada dando aulas virtuais de confeitaria. “Meu novo objetivo passou a ser como tornar a panificação acessível”, disse Dahan ao repórter Jen Ladd. Dahan está de volta à cozinha e administrando a Bake School paralelamente.

Quando mamãe e papai batizam o restaurante com o seu nome

Seu restaurante é seu bebê - uma longa gestação seguida por derramamentos confusos, acessos de lágrimas e sentimentos de orgulho. Não é mais fácil encontrar um nome para um recém-nascido de carne e osso do que para o trabalho da sua vida. Às vezes, os dois bebês carregam o mesmo nome. De Angelo’s Pizzeria a Zachary’s BBQ, aqui estão alguns restaurantes de Philly que fazem exatamente isso. Mais um bônus: você sabia que Geno Vento foi nomeado depois a loja de cheesesteak na Passyunk Avenue?

Relatório de restaurante

Lembra-se de se aconchegar no aconchegante Res Ipsa Cafe para uma das melhores comidas italianas da Filadélfia antes de fechar em 2020? Michael Ferreri e sua equipe estão instalados em uma espaçosa fortaleza no telhado de Irwin's, no 8º andar do edifício Bok, com não apenas sua comida ousada de influência siciliana, mas uma carta completa de vinhos e coquetéis. Prato dorminhoco: o fritto misto, que é um prato de anéis leves e crocantes de lula e rodelas de limão fritas, doces / azedas, viciantes - sim, limões fatiados dragados em farinha de arroz e amido de milho. A sala de jantar reformada da sala de aula de Irwin ainda não foi reaberta, então você tem que "se contentar" com o deck da cobertura, que oferece vistas incomparáveis ​​ao sul do complexo esportivo e pousos de jato no Aeroporto Internacional da Filadélfia. Está aberto para jantar apenas de quarta a domingo. Do lado norte da cobertura fica o Bok Bar, que além dos drinks (a partir das 17h de quarta a domingo) tem uma lousa de chefs e programação.

Qual é o atraso com novos restaurantes e reaberturas? Problemas de pessoal. Combine os garçons e cozinheiros que deixaram o negócio durante a pandemia com os trabalhadores de restaurantes que estão recebendo seguro-desemprego, e as fileiras são escassas, por enquanto. Entre aqueles que abrem lentamente está Sor Ynez (1800 N. American St.). O irmão do Cafe Ynez do sul da Filadélfia lançou um menu limitado para entrega e entrega das 15h às 20h Quarta a sexta, meio-dia às 20h Sábado e meio-dia às 17h00 Domingo. Sua bela sala de jantar com 50 lugares, projetada em torno de uma ofrenda (um pequeno altar) de Miguel Antonio Horn, assim como sua área externa, estão suspensas por enquanto.

Além de Cherry Street Pier, a cena ao ar livre de Penn’s Landing com clima quente em 2021 incluirá Píer de Morgan (221 N. Columbus Blvd.), retornando para sua 10ª temporada na quinta-feira, 22 de abril. O novo chef é o viajado Waldemar “Val” Stryjewski (Prohibition Taproom, Lloyd Whiskey Bar, a.kitchen + a.bar e Le Cheri), cujo menu inclui frutos do mar (vieiras fritas e crudo de salmão), lanches, pequenos pratos, pão sírio, sanduíches, doces e favoritos das crianças, além de picolés alcoólicos em seis sabores e cervejas da primeira cervejaria de propriedade negra da Filadélfia, a Two Locals Brewing . A abertura de quinta-feira é às 16h00 Horário inicial: Abertura ao meio-dia, último assento às 21h30, fechamento da cozinha às 22h00 e serviço de bebidas fechando às 23h.

Bobby Flay Steak no Borgata Hotel Casino & amp Spa em Atlantic City será fechado após 15 anos, a partir de 30 de junho, no que ambas as empresas descreveram como uma decisão mútua.

Preenchendo você sobre as próximas inaugurações de restaurantes:

Mesa DePaul, a churrascaria italiana substituindo The Bercy na 7 E. Lancaster Ave. em Ardmore, está prevista para inaugurar para o happy hour no fim de semana de 6 a 9 de maio - bem a tempo para a Ardmore Restaurant Week. Essa promoção - com menus de almoço e jantar de preço fixo de US $ 20, US $ 25 e US $ 30, além de happy hours de 6 a 16 de maio - também incluirá o novo Jardim de Lola na Suburban Square, bem como no meio novo Churrasco da Sofia, Autana, Parlor, e Blue Pearl Cafe assim como Delice et Chocolat, Buena Vista Mexicana, Hunan, Jack McShea's, John Henry’s Pub, Vinho e cozinha locais, Marokko, e Fermentaria de mãos cansadas.

Lamberti Pizza & amp Market, uma pizzaria / take-away / take-away de Lamberti, está na primeira ou segunda semana de maio em 707 Chestnut St.

Choolaah, o restaurante indiano casual rápido no centro da cidade King of Prussia, retorna em 26 de abril de seu fechamento COVID-19. Os proprietários planejam doar uma porcentagem das vendas desde o primeiro mês para grupos locais sem fins lucrativos.


Chegando à Filadélfia

Você sabia que leva apenas 75 minutos no trem para ir da Filadélfia à cidade de Nova York? Filadélfia é um complemento fácil para uma viagem à cidade de Nova York.

Se você estiver voando, o Aeroporto Internacional da Filadélfia é um hub para algumas companhias aéreas, tornando-o um destino fácil de chegar de avião. Além disso, há um trem que vai do aeroporto ao centro da cidade de Filadélfia. O trem sai a cada 30 minutos e o levará ao centro em apenas cerca de 30 minutos. É tão fácil.


Onde comer

Nossos amigos da Eater Philly têm a guia final para comer no aeroporto, discriminado por saguão. Mas para uma experiência gastronômica surpreendentemente boa, vá para o saguão b. É um destino gastronômico local com centenas de iPads instalados em cada restaurante para pedir sua comida. Existem portas e tomadas USB na mesa de ensino também, para que você possa recarregar enquanto se alimenta.

Se por acaso você é um titular do cartão American Express Platinum ou Centurion (ou conhece alguém que é), você está com sorte: o ostentoso Centurion Lounge no Terminal A apresenta um menu de inspiração israelense criado pelo chef Zahav e vencedor do prêmio James Beard, Michael Solomonov, mas está aberto apenas para clientes premium da Amex.


Mapas de aeroportos e guia de terminais

O complexo do terminal de passageiros no Aeroporto da Filadélfia consiste em sete terminais de passageiros, dispostos de leste a oeste: A-Oeste, Terminal A-Leste, Terminal B e amp C, Terminal D, Terminal E e Terminal F - conectados em suas áreas seguras, que oferecem acesso às garagens correspondentes. Os terminais B & amp C e D & amp E são conectados em áreas seguras e não protegidas, enquanto o terminal F é conectado apenas em suas áreas seguras (pós-segurança) aos outros terminais.

Alimentos, lojas e comodidades

Restaurantes, bares e lojas estão espalhados pelos terminais. Consulte o mapa do aeroporto da Filadélfia para obter orientação. O conector B / C com o Philadelphia Marketplace abriga 30 lojas de varejo e uma grande praça de alimentação e se conecta à área de pós-segurança de D.

Locomovendo-se no aeroporto

Um conector seguro do terminal E-F fornece um link entre os terminais E e F e todos os outros terminais sem a necessidade de entrar novamente nos pontos de verificação de segurança do terminal do aeroporto da Filadélfia. A transferência entre os terminais E & amp F do aeroporto de Filadélfia envolve uma caminhada de 15 minutos. Além disso, os grandes ônibus gratuitos, operados pela American Airlines, fazem as seguintes conexões no lado seguro entre os terminais A-East e F e C e amp F. A parada de ônibus A-Leste fica perto do portão A1, a parada do terminal C está no portão C16 (perto de Au Bon Pain), e a parada do ônibus espacial F fica no Portão F-14.

Se fizer conexão de um vôo internacional para um regional, é aconselhável fazer um orçamento de 30 minutos extras! O acesso aos terminais do estacionamento do aeroporto da Filadélfia é fácil e rápido. O acesso ao carro alugado fica fora de cada terminal do aeroporto da Filadélfia. O Terminal A-West é o único terminal com a Imigração e Alfândega dos EUA. A menos que você tenha passado pelo desembaraço aduaneiro dos Estados Unidos nos aeroportos participantes, você precisa passar pela verificação do passaporte, retirar as malas despachadas, passar pelo desembaraço aduaneiro e - se for transferir para outro voo - fazer o check-in novamente (a etiqueta deve indicar escala e final códigos do aeroporto de destino). Aguarde pelo menos 35-45 minutos para se conectar ao terminal.

Terminal A

PHL Terminal A é dividido em Terminais A-Leste e A-Oeste - conectados em seu nível de emissão de bilhetes - cada um com seus próprios saguões. O Terminal A-West é o único terminal com a Imigração e Alfândega dos EUA e atende a todos os voos internacionais, exceto aqueles com instalações de pré-liberação dos EUA.

Saguão A-Oeste com portões A14-A26 é atendida pelas companhias aéreas American, British Airways, Lufthansa & amp Qatar & amp Spirit. O Terminal A-West abriga o Travelex, um grande saguão da alfândega e um pequeno saguão de desembarque internacional que se conecta à garagem A-West. Sua área de bilheteria também se conecta com a área de bilheteria da A-East. A American Express oferece seu novo e luxuoso Centurion Lounge no Terminal A-West.

Saguão A-Leste com portões A2-A13- é servido pelas companhias aéreas American, American Eagle e amp Charters. Um conector da emissão de bilhetes do Terminal A-Leste leva à reivindicação de bagagem A-Leste e ao conector do terminal ao Terminal B / C. Serviços disponíveis: Minute Suites, The Traveler's Retreat, parque infantil, engraxate, loja UPS, Travelex.

Os terminais A e B do Aeroporto da Filadélfia são conectados por uma passarela de segurança.

Terminal B & amp Terminal C

Os portões B1-B16 do Concourse B da PHL e os portões C17-C31 do Concourse C em lados opostos são atendidos pelos voos domésticos e canadenses da American Airlines. Ambos os terminais são conectados por um shopping e uma praça de alimentação. Eles abrigam a emissão de bilhetes B / C e se conectam ao Baggage Claim B / C e ao Terminal Connector do Terminal D. Os serviços do PHL Terminal B / C incluem o Admirals Club e engraxate e o Terminal C abriga o XpresSpa e o United Club.

O lounge Comcast fica em frente à praça de alimentação, entre TB / TC e oferece serviço de TV X1 com assentos / estações de carregamento e representantes Xfinity para suporte.

Terminal D

Contém portões D1-D16 do Concourse e é usado pelas companhias aéreas Air Canada, Alaska, Delta, Delta Connection, United e United Express. Os serviços incluem Delta Sky Club, Travelex, XpresSpa e engraxate. O terminal D está conectado ao terminal E no nível de emissão de bilhetes. O Terminal D também se conecta à área comercial do Terminal B & amp C por meio de uma passarela de segurança. O Terminal D abriga o Delta Sky Club.

Terminal E

O PHL Terminal E abriga as portas E1-E17 do Concourse E e é usado pela Frontier, JetBlue e amp Southwest. NOTA: Os portões e retirada de bagagem da Delta estão no Terminal D, enquanto a passagem é no terminal E. O Terminal E compartilha as concessões de passagens e amp com o Terminal D e a retirada de bagagem no Conector D / E.

Terminal F

Contendo portas F F1-39, é atendido apenas pela American Eagle. No lado norte do Complexo de Terminais está a emissão de bilhetes do Terminal F com a reivindicação de bagagem F anexada e um conector de terminal para o Terminal E, bem como o acesso aos saguões 1 com portões F1-F9, saguão 3 com portões F24-39 e saguão 2 com portões F10-23.

Dicas de Terminal

Confira as Minute Suites ('The Traveller's Retreat'), que oferecem suítes privativas por hora (13 suítes privativas são equipadas com sofá-cama para 2 pessoas, redução de ruído, HDTV, wi-fi e mais). Há uma instalação USO perto do portão A6.


Onde Comer no Aeroporto Internacional da Filadélfia - Receitas

Um novo programa de testes do COVID-19 terá início no Aeroporto Internacional da Filadélfia na sexta-feira, no prédio de embarques do Terminal E.

O passageiro que optar pelo teste do antígeno receberá, no mesmo dia, um link com o resultado, por mensagem de texto. Os viajantes que escolheram o teste de PCR (reação em cadeia da polimerase) mais lento, porém mais preciso, receberão seus resultados em 48 a 72 horas. O teste custará entre $ 70 e $ 130.

O programa é uma parceria entre o aeroporto, Jefferson Health, e Ambulnz, uma empresa de serviços médicos móveis. Muitos destinos no Caribe, um dos maiores mercados de inverno para voos saindo de PHL, estão exigindo que os passageiros tenham um teste de PCR negativo para coronavírus nas 72 horas antes do embarque.

A CEO da PHL, Chellie Cameron, disse que o novo programa ajudará a apoiar a recuperação econômica na duramente atingida indústria de viagens e hospitalidade, enquanto atende aos passageiros que estão considerando mais precauções em seus planos.

“Os viajantes de hoje entendem que precisam tomar medidas e tomar medidas, e planejar adequadamente se vão viajar”, ​​disse Cameron.

As instalações de teste no aeroporto são destinadas a passageiros assintomáticos com passagem - não ao público em geral. As pessoas que fizerem o teste precisarão pagar adiantado e não poderão apresentar o cartão do seguro no local.

A PHL está oferecendo duas horas de estacionamento gratuito para os passageiros que vierem fazer o teste.

Funcionários da Jefferson Health disseram que esperam que o processo de teste seja perfeito, desde a facilidade de estacionamento até o alerta de texto de que os resultados estão prontos.

Com o teste de antígeno, que é mais barato, os resultados aparecerão em 15 a 20 minutos, disse Jonathan Gleason, diretor de qualificação da Jefferson Health.

Essa opção provavelmente atrairá pessoas que viajam dentro dos Estados Unidos - seja porque esses viajantes desejam tranquilidade antes de ver seus familiares ou porque estão cumprindo os requisitos de teste de seu destino.

“Eles terão uma recuperação bastante rápida”, disse Gleason. “Vem direto para o celular deles.”

Os viajantes devem pesquisar os requisitos relacionados ao coronavírus de seu destino com antecedência, disse Cameron. “Eu não posso enfatizar a necessidade de pesquisa antes da viagem, o suficiente.”

A American Airlines, a principal transportadora aérea da Filadélfia, cataloga as restrições de viagens para a Jamaica, Canadá, Aruba e outros países por meio de sua ferramenta de viagens Sherpa online. “Nossos agentes confirmam que os clientes têm todos os documentos de viagem exigidos no check-in [ponto de origem]”, disse o porta-voz americano Andrew Trull por e-mail. “Quem não tiver a documentação exigida não poderá viajar.”

Ao mesmo tempo, o Aeroporto Internacional da Filadélfia não verifica se os passageiros que chegam tiveram teste negativo para COVID-19.

O Departamento de Saúde da Pensilvânia emitiu um pedido atualizado antes do Dia de Ação de Graças, exigindo que os viajantes vindos de outro estado, e maiores de 11 anos, apresentassem evidências de um resultado negativo do teste, ou então quarentena por 14 dias.

“Não somos executores. Esse não é realmente o nosso papel ”, disse Cameron.

Configurar opções de teste para passageiros de ida agora também pode facilitar a abertura de mais rotas de viagem que foram restritas durante a pandemia. No futuro, “isso pode ser um requisito para restabelecermos as viagens pela Europa”, disse Cameron.

E quando mais pessoas estiverem prontas para viajar novamente, o teste de coronavírus no PHL já estará estabelecido.

“Este foi um ano perdido”, disse o CEO da Jefferson Health, Stephen Klasko. Rumo a 2021, disse ele, “um dos grandes fatores será tornar o mais fácil possível para as pessoas estarem seguras e levarem uma vida normal”.


Conteúdo

A partir de 1925, a Guarda Nacional da Pensilvânia usou o atual local do aeroporto (conhecido como Ilha Hog) como campo de aviação de treinamento. O local foi dedicado como o "Aeroporto Municipal da Filadélfia" por Charles Lindbergh em 1927, mas não tinha construção de terminal adequada até 1940, as companhias aéreas usaram o Aeroporto Central de Camden, nas proximidades de Camden, Nova Jersey. Assim que o terminal da Filadélfia foi concluído (no lado leste do campo), American, Eastern, TWA e United transferiram suas operações para cá.

Em 1947 e 1950, o aeroporto tinha pistas 4, 9, 12 e 17, todas 5400 pés ou menos. Em 1956, a pista 9 tinha 7284 pés, em 1959 tinha 9.499 pés e a pista 12 foi fechada. Não mudou muito até o início dos anos 1970, quando a pista 4 foi fechada e a 9R aberta com 10500 pés.

Em 20 de junho de 1940, a estação meteorológica do aeroporto tornou-se o ponto oficial para observações e registros meteorológicos da Filadélfia pelo Serviço Meteorológico Nacional. [6]

Segunda Guerra Mundial use Editar

Começando em 1940, a Rising Sun School of Aeronautics de Coatesville realizou o treinamento de vôo primário no aeroporto sob contrato com o Air Corps. Após o ataque a Pearl Harbor, o I Fighter Command Philadelphia Fighter Wing forneceu defesa aérea da área de Delaware Valley a partir do aeroporto. Durante a guerra, vários grupos de caças e bombardeiros foram organizados e treinados no aeroporto da Filadélfia e designados para o Philadelphia Fighter Wing antes de serem enviados para campos de aviação de treinamento avançado ou serem implantados no exterior. As unidades conhecidas atribuídas foram os grupos de lutadores 33d, 58º, 355º e 358º.

Em junho de 1943, o I Fighter Command transferiu a jurisdição do aeroporto para o Air Technical Service Command (ATSC). O ATSC estabeleceu um sub-depósito do Middletown Air Depot no aeroporto. A unidade do 855º Depósito Especializado das Forças Aéreas do Exército consertou e revisou aeronaves e as devolveu ao serviço ativo, e o Comando de Treinamento das Forças Aéreas do Exército estabeleceu a Escola de Treinamento Philco em 1º de janeiro de 1943, que treinou pessoal em reparos e operações de rádio.

Em 1945, a Força Aérea reduziu o uso do aeroporto e ele foi devolvido ao controle civil em setembro.

Companhia aérea usar Editar

Philadelphia Municipal tornou-se Philadelphia International em 1945, quando a American Overseas Airlines iniciou voos diretos para a Europa. (Por um curto período, os voos da AOA pularam a parada em Nova York que provavelmente era a única escala internacional da Filadélfia até que a Pan Am tentou voos diretos para a Europa em 1961.) Um novo terminal foi inaugurado em dezembro de 1953, nas partes mais antigas do complexo terminal atual (B e C) foram construídos no final dos anos 50.

O OAG de abril de 1957 mostra partidas de 30 dias úteis na Eastern, 24 TWA, 24 United, 18 American, 16 National, 14 Capital, 6 Allegheny e 3 Delta. Para a Europa, cinco Pan Am DC-6Bs por semana via Idlewild e Boston e dois TWA 749As por semana via Idlewild e um vôo da TWA continuou para o Ceilão. A Eastern and National tinha voos diretos para Miami, mas o TWA 1049G para LAX, que começou em 1956, era o único sem escalas além de Chicago. Os primeiros jatos programados foram TWA 707s no verão de 1959. [10]

A modernização do Terminal B / C foi concluída em 1970, o Terminal D foi inaugurado em 1973 e o Terminal E em 1977, a expansão de $ 300 milhões [11] foi projetada por Arnold Thompson Associates, Inc. e Vincent G. Kling & amp Associates. [12]

Na década de 1980, a PHL hospedou vários hubs. O Airline Deregulation Act de 1978 permitiu que a transportadora regional Altair Airlines criasse um pequeno hub em PHL usando Fokker F-28s. Altair começou em 1967 com voos para cidades como Rochester, Nova York, Hartford, Connecticut e para a Flórida até que encerrou as operações em novembro de 1982. Em meados da década de 1980, a Eastern Air Lines abriu um hub no Concourse C. Década de 1980 e vendeu arrendamentos de aeronaves e portões para a Midway Airlines, com sede em Chicago. A Midway operou seu hub na Filadélfia até encerrar suas operações em 1991. Durante a década de 1980, a US Airways (então chamada de USAir) construiu um hub em PHL.

A US Airways se tornou a transportadora dominante na PHL nas décadas de 1980 e 1990 e mudou a maioria de suas operações de hub de Pittsburgh para Filadélfia em 2003. Em 2013 [atualização] PHL era o maior hub internacional da US Airways e seu segundo maior hub geral, atrás de Charlotte . [13] PHL se tornou um hub da American Airlines depois de concluir sua fusão com a US Airways em 2015 e continua sendo um dos maiores hubs da companhia aérea, oferecendo uma média de 420 voos de partida por dia para mais de 100 destinos. Nos últimos anos, a American optou por continuar expandindo em PHL enquanto reduzia seu hub em JFK em Nova York devido à maior disponibilidade de slots, menores custos operacionais na Filadélfia e sua maior rede de voos de conexão.

Em julho de 1999, o Departamento de Transporte da Pensilvânia (PennDOT) e várias agências do governo federal dos EUA selecionaram uma rota para as rampas de conexão da Interestadual 95 ao complexo do Terminal A-Oeste, então em desenvolvimento a agência tentou evitar o Refúgio Nacional de Vida Selvagem John Heinz em Tinicum. A K / B Fund II, proprietária do complexo International Plaza, anteriormente a sede da Scott Paper, Scott Plaza, se opôs à rota proposta, dizendo que isso interferiria no desenvolvimento do International Plaza. Ela entrou com um processo no Tribunal de Apelações dos EUA para o Terceiro Circuito para contestar o roteamento proposto. [14] Em 2000, o aeroporto tentou adquirir o complexo por $ 90 milhões, mas os comissários de Tinicum Township interromperam o negócio, citando preocupações de uma perda de receita fiscal para o município e o Distrito Escolar de Interboro, que também atende Tinicum como preocupações de poluição sonora. [15]

Em 2002, a construção das polêmicas novas rampas de entrada foi realizada. As novas rampas eliminaram os cruzamentos de semáforo e de parada anteriormente encontrados pelos motoristas da I-95 em direção ao norte que tiveram que usar a rota 291 para o aeroporto. O projeto consistia em seis novas pontes, mais de 4.300 pés lineares de paredes de contenção e 7,7 milhas de pista de novo pavimento. O projeto também incluiu nova iluminação rodoviária, estruturas de sinalização suspensas, paisagismo e pavimentação da Avenida Bartram. Também sob o projeto, a PennDOT repassou a I-95 entre a Rota 420 e a Island Avenue e construiu uma instalação de fiscalização de caminhões e estacionamento e passeio. [16] Em 2003 foi inaugurado o Terminal A-Oeste, com uma garagem para 1.500 vagas. A construção do terminal foi financiada por títulos de receita do aeroporto vendidos pela Autoridade de Filadélfia para o Desenvolvimento Industrial. [17]

Em 2005, dois estudos trataram da expansão da capacidade da pista em PHL: o Projeto de Extensão da Pista 17-35 EIS [ citação necessária ] e o Programa de Aumento da Capacidade PHL EIS. [18] Concluído em maio de 2009, [19] o Projeto de Extensão da Pista 17-35 estendeu a pista 17-35 a um comprimento de 6.500 pés (2.000 m), estendendo-a em ambas as extremidades e incorporando as áreas de segurança adequadas da pista. Outras mudanças feitas com o Projeto de Extensão da Pista 17–35 incluíram pistas de taxiamento e pátios adicionais, realocação de vias de serviço de perímetro e modificações em vias públicas próximas.

O status da Filadélfia como um portal internacional e importante hub para a American Airlines e o crescimento da Southwest Airlines e outras companhias aéreas de baixo custo aumentaram o tráfego de passageiros para níveis recordes em meados da década de 2000 em 2004 28.507.420 passageiros voaram pela Filadélfia, um aumento de 15,5% sobre 2003. [20] Em 2005, 31.502.855 passageiros voaram por PHL, marcando um aumento de 10% desde 2004. [21] Em 2006, 31.768.272 passageiros viajaram por PHL, um aumento de 0,9%. [22]

Com 12.000 pés (3.658 metros) de comprimento, a pista 9R / 27L (anteriormente 10.506 pés) é a pista civil mais longa da Pensilvânia.

Edição de Terminais

O Aeroporto Internacional da Filadélfia possui seis terminais com um total de 126 portões. [23] Non pre-cleared international arrivals are processed in Terminal A. American operates Admirals Clubs in Terminal A, the B/C connector and Terminal F. [24] Terminal A also contains a British Airways Galleries Lounge as well as a American Express Centurion Lounge. [25] Terminal D contains a United Club as well as a Delta Sky Club. [25] A USO lounge is located in Terminal E. [25]

Terminal A Edit

Terminal A is divided into two sections, east and west. Terminal A West has 13 gates, whilst Terminal A East has 11 gates. Terminal A West has a modern and innovative design, made by Kohn Pedersen Fox, Pierce Goodwin Alexander & Linville and Kelly/Maiello. [26] Opened in 2003 as the new international terminal, it is now home to American (domestic and international), British Airways, Lufthansa, and Qatar Airways. It offers a variety of international dining options. International Arrivals (except from locations with Customs preclearance) arrive at gates in both Terminal A east and west and are processed at the Terminal A West arrival building.

Terminal A East, originally the airport's international terminal, is now used by Aer Lingus and American domestic and international flights as well as international arrivals for Frontier Airlines. A-East is well maintained and recently received an upgrade to its baggage claim facilities. Most of the gates in this terminal are equipped to handle international arrivals and the passengers are led to the customs facility in Terminal A West. It opened in 1990. The security entrance was significantly enlarged in 2012.

There are 3 lounges along the corridor between Terminal A East and A West an American Airlines Admirals Club, British Airways Galleries Lounge and American Express Centurion Lounge. The east terminal also contains an Admirals Club. There is also a children's play area located in the east terminal.

Terminals B and C Edit

Terminals B and C have 15 and 14 gates respectively. They are the two main terminals used by American. They were renovated at a cost of $135 million in 1998, which was designed by DPK&A Architects, LLP. [27] They are connected by a shopping mall and food court named the Philadelphia Marketplace. Remodeling has begun in the gate areas, although these cosmetic changes will not solve the space problems at many of the gates. Overall, the facilities are fairly modern and dining options on the concourses are also available. They are the oldest terminals and opened in 1953. There is an American Airlines Admirals Club located in the B/C connector.

Terminal D Edit

Terminal D has 16 gates it opened in 1973. The terminal was upgraded in late 2008 with a new concourse connecting to Terminal E while providing combined security, a variety of shops and restaurants and a link between Baggage Claims D and E. This is the inverse of the connector between Terminals B and C, which comprises a combined ticket hall but separate security facilities. Terminal D is home to Air Canada, Delta, Spirit and United. This terminal is connected to the shopping area of Terminals B/C through a post-security walkway. The terminal contains a United Club and a Delta Sky Club.

Terminal E Edit

Terminal E has 17 gates. It is home to Alaska Airlines, Frontier, JetBlue, and Southwest. It opened in 1977. Terminal E houses a USO lounge available for all members of the military and their family.

Terminal F Edit

Terminal F has 38 gates. The terminal is a regional terminal used by American Eagle flights. It includes special jet bridges that allow passengers to board regional jets without walking on the apron. Opened in 2001, Terminal F is the second newest terminal building at PHL. It was designed by Odell Associates, Inc. and The Sheward Partnership. [28] An American Airlines Admirals Club is located above the central food court area of Terminal F.

When Terminal F opened in 2001, it had 10,000 sq ft (930 m 2 ) of space for concessions. [29]

Ground transportation Edit

SEPTA Regional Rail's Airport Line serves stations at Terminals A, B, C, D, and E. The four stations are Airport Terminal A East/West, Airport Terminal B, Airport Terminals C & D, and Airport Terminals E & F. The stations are next to the baggage claim at each terminal with escalator and elevator access from each terminal's skywalk. The Airport Line connects to Center City Philadelphia, other SEPTA trains, Amtrak trains, and NJ Transit trains at 30th Street Station. The Airport Line runs through Center City Philadelphia to Glenside, PA many weekday trains and half of the weekend trains continue to Warminster, PA on the Warminster Line. The Airport Line runs 5:00 a.m. to 12:00 a.m. daily, with trains every 30 minutes. The ride from the airport to Center City Philadelphia takes 25 minutes. [30] [31]

Philadelphia International Airport has road access from an interchange with I-95, which heads north toward Center City Philadelphia and south into Delaware County. PA 291 heads northeast from the airport area and provides access to and from I-76 (Schuylkill Expressway). [32] Rental cars are available through a number of companies each operates a shuttle bus between its facility and the terminals. As part of the airport's expansion plan, the airport plans to construct a consolidated rental car facility. Taxis and ride-sharing services both serve the airport. [33] [34]

SEPTA has various bus routes to the airport: Route 37 (serving South Philadelphia and Chester Transportation Center), Route 108 (serving 69th Street Transportation Center and the UPS air hub), and Route 115 (serving Delaware County Community College and Darby Transportation Center). As a benefit to students, local schools including The University of Pennsylvania, Villanova University, Swarthmore College, Haverford College and Saint Joseph's University traditionally operate transportation shuttles to the airport during heavy travel periods such as spring and Thanksgiving breaks.


Dining in the Main Terminal

Miller Brewhouse (Menu) - TEMPORARILY CLOSED

The Miller Brewhouse pays homage to Milwaukee's iconic brewing heritage with delicious salads, soups, carvery sandwiches, burgers, entrees and of course a full bar with great beers on tap.

Northpoint - TEMPORARILY CLOSED

Milwaukee's own Northpoint offers classic burgers, shakes, fries and delicious frozen custard.


The Best Airport Restaurants in the US

Don't take off without grabbing food from these chef-driven locales at airports across the country. From sushi to freshly baked cookies, shrimp cocktail to tortas, here are the restaurants that are worth a sprint to the gate.

Photo By: Juan Carlos Briceno

Photo By: Anthony Morrow of Pulp Detroit

Hartsfield-Jackson Atlanta International Airport: One Flew South

Although this is an airport-only locale, it&rsquos one worth a visit. Consistently rated as a top pick in all of Atlanta, the restaurant&rsquos Japanese-inspired decor will transport you out of the terminal to a place of Zen with intricately crafted cocktails and a menu full of Southern-international finds. Here you can find pork belly sliders, soy-glazed grouper, a full sushi menu and delectable desserts like a Southern banana pudding.

Los Angeles International Airport: Ink Sack

Tom Bradley International Terminal, Great Hall

Well-known LA chef Michael Voltaggio may have closed his other sandwich locations of the same name to focus on his other projects, but LAX commuters can still stop here to grab a creative sandwich to go. Choices like pork butt banh mi or gravlax with pickled onions and everything spread show that this isn't your typical airport sandwich shop.

Chicago O'Hare International Airport: Publican Tavern

If there isn't time to head to Chicago's bustling Fulton Market district to taste the food from the original restaurant, The Publican, and nearby restaurant and butcher shop Publican Quality Meats, this airport locale will do the trick. Taking highlights from both menus, it features the same seasonal, flavor-packed, expertly sourced ingredients as well as signature dishes like the Spicy Pork Rinds and the Farm Chicken.

Dallas/Fort Worth International Airport: Whitetail Bistro

Popular restaurant group Abacus Jaspers has been known on the Texas scene for quite some time with restaurants in and around Dallas. This airport venture brings the best of Texas to the takeoff area, with a bistro twist serving up meals like cornmeal-crusted Texas catfish fish and chips and a grilled cheese with fire-charred tomato jam, smoked cheddar and Swiss cheese.

John F. Kennedy International Airport, New York City: Blue Smoke

Terminal 4, near Gate B34

Union Square Hospitality (Gramercy Tavern, Union Square Café) is known for producing some of New York&rsquos favorite restaurants, so this Southern-inspired barbecue joint is a nice addition to busy JFK airport (you can also find locations in the city, and at the Mets&rsquo Citi Field). Don&rsquot be afraid to get messy with their smoked barbecue wings doused in Alabama white barbecue sauce, or pulled pork piled high with coleslaw and vinegar sauce.

Boston Logan International Airport: Shojo

Consistently rated one of the best places to get ramen in Boston, Shojo brings its beloved Asian gastropub cuisine to the airport for those who can&rsquot make it to &mdash or can&rsquot get enough of &mdash their Chinatown location. This location serves breakfast, including a bacon, egg and cheese bao and egg-puff waffles, along with an all-day congee menu. Sip on Japanese whiskey and chomp on the Shojonator burger, with bacon, kimcheese, pickles, scallions and spicy aioli on a bao bun, or grab to-go items like a bahn mi sandwich with soy-marinated tofu and mushroom aioli.

Austin-Bergstrom International Airport: The Peached Tortilla

East Food Court, Near Gates 7 and 8

It&rsquos hard to visit Austin and not hear about the Peached Tortilla in some capacity between their food trucks, restaurant, bar, catering and event spaces. Building on the taco culture of Austin, this hip restaurant group offers Texas food with an Asian twist. The airport location serves their first foray into breakfast tacos, filled with brisket and eggs or Japanese sweet potato and avocado. Lunch and dinner hit more of their classics, like a bahn mi taco and Korean steak, along with a few rice and noodle bowls.

Seattle-Tacoma International Airport: Skillet

Neighborhood diner go-to (and popular food truck) Skillet has landed at SeaTac airport, bringing its comforting Pacific Northwest cuisine to frequent fliers. Find portable items from the original menu, including the housemade doughnut holes &mdash with powdered sugar or raspberry jam &mdash their kale Caesar salad and breakfast chilaquiles.

San Francisco International Airport: Manufactory Food Hall

International Terminal

When chefs from some of the best restaurants in the Bay Area &mdash Tartine, Cala and Kin Khao &mdash team up to create a food hall in the airport, it's worth checking out. The newest addition to SFO, the food hall features ingredients from the same farmers and purveyors they use in their restaurants. A full-service concept from the folks behind Tartine features sandwiches, salads, soups and their famous baked goods and coffee. Tacos Cala will feature tortas and tacos inspired by their civic center restaurant, and Kamin focuses on Thailand with rice bowls, noodles and grilled meats. The restaurants also have a selection of goods for sale, perfect for those last-minute gifts.

McCarran International Airport, Las Vegas: Metro Pizza

This may not be the fanciest feast, but Metro Pizza has been serving the Vegas area since the early 1980s, and it&rsquos a local favorite. Although the menu is more limited at the airport, travelers can still grab a hand-stretched, freshly made giant pie from pizza makers who&rsquove been at it for generations.

San Diego International Airport: The Prado

Dining at this airport spot may not feel the quite the same as breathing in the fresh air on the patio of the original Prado in Balboa Park, but you can still dive into favorites like the vibrant red-and-gold beet salad and the hearty Kobe cheeseburger before you hop a flight.

Phoenix Sky Harbor International Airport: Christopher's

James Beard Award-winning chef Christopher Gross lends his talents to the Phoenix airport with a version of his former restaurant, Christopher's (in the city, he is now at the helm of Geordie's in the Wrigley Mansion). Although he is known for his exquisite French cooking, he brings a more casual, yet elevated, approach to the airport with a selection of travel-friendly dishes like chicken wings in red wine sauce, margherita pizza and house-smoked salmon. Wine selections are curated by the wine director of Christopher's.

Ronald Reagan Washington National Airport: Good Stuff Eatery

Spike Mendelsohn and family originally opened Good Stuff Eatery on Capitol Hill, as a destination for burgers, fries and handspun shakes (eventually opening additional locations around D.C. and in Chicago and Cairo). The airport menu has breakfast for early risers and a slightly smaller selection of their burgers and shakes but the same local and organic ingredients.

Baltimore-Washington International Thurgood Marshall Airport: Obrycki's

Concourse B between gates B-7 and B-9 Concourse A next to gate A-10

Since 1944 Obrycki's has thrilled Baltimore seafood fans, especially with its crab cakes. Though the last city location closed in 2011, this family-owned business still pours its heart and soul into its two locations in BWI Thurgood Marshall Airport. The crab cakes are still a real draw, made with tons of crab and little filler. A secret spice blend sets them apart from other Baltimore crab cakes. If you like what you taste, you can buy some frozen to travel home with, or just enjoy a second helping at the bar along with the signature Crabby Mary made with Absolut Peppar vodka, the house spice blend around the rim and a crab claw garnish.

Miami International Airport: Spring Chicken

Concourse D, Near Gate D22

Keep the easy-going beach-bite dreams alive on your return from Miami with a fried chicken sandwich from one of the city&rsquos best spots. The same restaurant group behind uber-popular South Florida Southern-scratch cooking restaurant Yardbird brings some of their more casual fare to Spring Chicken, serving up chicken many ways including in the Country Club, with chicken (fried or grilled) Swiss cheese, bacon, tomato, pickles, and ranch (with a choice to add avocado) on a potato bun.

Philadelphia International Airport: Bud and Marilyn’s

Between Terminal B and Terminal C

A Philly stalwart, this Midwestern-style supper club from the well-established restaurant group Safran Turney hospitality has landed at the airport. The PHL location of Bud and Marilyn&rsquos serves some of the restaurant&rsquos most-beloved dishes, along with some grab-and-go selections. Don&rsquot miss the Nashville hot buns filled with hot fried chicken, pickles, pickle brine slaw and a burnt scallion ranch.

Minneapolis-St Paul International Airport: LoLo

Terminal 1, Concourse E

This locally owned and locally operated business (that's what "LoLo" stands for) can be found dishing out creative American food across Minneapolis, including at the airport. Grab a seat by the bar or at a surrounding high-top table to indulge in mixed-berry and Brie crostini drizzled with orange blossom honey or Korean BBQ hanger steak tacos with pickled cucumber, napa slaw and lemongrass aioli. A craft cocktail will help ease any weather delays.

Detroit Metro Airport: Bigalora

Chef Luciano Del Signore has been serving up Italian food in the Detroit area for decades, notably at his fine-dining Italian restaurant Bacco. He started Bigalora, with locations across Michigan, as a more casual concept with a menu full of wood-fired pizzas, pastas and market vegetables. The airport was the natural next step to provide those flying through the Motor City with the same signature wood-fired oven, a full bar and a section to grab and go for those in a hurry.

Dane County Regional Airport, Madison, Wisconsin: Mad Town Gastropub

Chef Tory Miller is the chef to know in Madison, but if you can't make it into Badger country, you can still experience his food at the airport. Cheese curds are a must-try in Wisconsin (as is local Wisconsin beer New Glarus Spotted Cow). The menu is full of regional fare, featuring local bratwurst, Hook's cheddar and plenty of housemade creations. The Tomato Ball Soup is a fun riff on matzo ball soup, with a tomato-based soup and a crispy risotto ball.

Portland International Airport: Blue Star Donuts

Pre-security Main Terminal

People travel far and wide to Oregon for a taste of Blue Star&rsquos doughnuts &mdash they&rsquore some of the most-inventive in the country. If ever there was a reason to get to the airport early, it&rsquos for a horchata-glazed brioche doughnut or a blueberry-basil cake doughnut, available at the stand before the TSA checkpoint, and especially great to dull the pain of a morning flight.

Newark Liberty International Airport: Daily

Seeing a true farm-to-table restaurant in the middle of an airport may be unexpected, but EWR&rsquos Daily is definitely worth a visit. The menu changes daily, as the name suggests, yielding dishes based on the bounty of local and seasonal ingredients available that day. Dishes could include Peking duck lettuce wraps or a grilled broccoli rabe sandwich with pepper jack cheese, chipotle ranch, pickled red onions and cherry peppers. Entrees are often cooked on their wood burning grill.

LaGuardia Airport, New York City: Osteria Fusco

Scott Conant is as beloved for his handmade pastas and other Italian specialties as he is for his insights on Picado. Track down the former at LGA&rsquos Osteria Fusco. Expect a streamlined menu with favorites like burrata-topped arugula salad, rigatoni with Nonna&rsquos Neapolitan meat ragu, and a classic pasta al pomodoro.

Tampa International Airport: Ulele Bar

A favorite on the Tampa waterfront for its native Floridian food has made its way to the airport via a counter-service restaurant. Ingredients from the Gulf Coast, such as oysters and blue crab, are used whenever possible, and even the microbrews are made from local spring water. Many of the dishes pay homage to the native Timucua and Tocobaga Indians, early settlers of Florida. Save room for dessert &mdash the ice cream is made on-site.

Raleigh-Durham International Airport: 42nd Street Oyster Bar and Seafood Grill

A stalwart in the Raleigh dining community, this oyster bar holds a lot of history. And although the downtown Raleigh location has a ton of character, with live music and a storied past, the RDU location still offers up the same fresh seafood, like East Coast oysters, shrimp cocktail and bacon-wrapped scallops. There's plenty of beer and wine on hand to wash it down, and breakfast is served for the early flightgoers.

Indianapolis International Airport: Harry and Izzy's

People flock to the center of Naptown just to grab a taste of the famous St. Elmo Shrimp Cocktail found at St. Elmo Steak House or sister restaurant Harry and Izzy's. Luckily for those just passing through, the sinus-clearing, horseradish-laced cocktail sauce and jumbo shrimp are available gateside, along with some of other favorites, like the Izzy-style New York strip steak (rolled in cracked pepper and sauced with orange brandy butter) and the St. Elmo prime rib sandwich.

Charlotte Douglas International Airport: 1897 Market

Todd English had a hand in creating this gourmet market &ndash a perfect place to kill time while waiting for a delayed flight. It's an experience for the senses, with the smells of a wood-burning pizza oven, the sight of a carving station, the texture of the raw bar and the tastes of Carolina favorites like Dirty Mac and Cheese, and shrimp with local stone-ground grits.

Denver International Airport: Root Down

If visiting the LoHi neighborhood of Denver isn't quite within reach this trip, it's still possible to indulge in one of its best restaurants. Tons of vegetarian, vegan and gluten-free options make up the menu (rare to find at the airport), with choices like a vegetarian shoyu ramen and gluten-free banh mi. Check out the decor &ndash elements like a self-watering green wall, recycled cockpit instruments and 70 recycled lighted globes make this a cool place to hang out while waiting out a delay.

Salt Lake City International Airport: High West Distillery

Pre-security Main Terminal

Park City&rsquos favorite distillery has an airport location with many of the spirits you can find at the original locale. And although you can&rsquot ski up to this version, you can still sip a whisky flight or a handcrafted cocktail made with local spirits, like the smoky Campfire whiskey. Com fome? Chow down on saloon bites like sourdough pretzel sticks with whiskey beer cheese or a bison pastrami Reuben with Swiss cheese, jalapeno sauerkraut and house thousand island.

Louisville International Airport: Book and Bourbon Southern Kitchen

Pre-security Main Terminal

Even if traveling the Kentucky Bourbon Trail isn't in the cards, a stop at one of the official spots on it may be possible &mdash right in the airport! In true Louisville style, this restaurant offers up over 85 different types of local bourbons and a chance to learn about the tasting notes and history of each. Southern cuisine like fried green tomato Benedict and crispy buttermilk fried chicken rounds out the menu, and vintage "library cards" offer up bourbon cocktail recipes that can be replicated at home.

Phoenix Sky Harbor International Airport: Four Peaks Brewery

If there isn't time to head to Scottsdale or Tempe to pair this desert-favorite beer brand with pub food, look no further than the airport to get your fix. This airport locale serves up signature brews like the caramel-noted Double Knot and the peach golden ale alongside grub like chicken enchiladas, green-chile pork poutine, and fish and chips made with the brewery's Kilt Lifter beer.

Dulles International Airport, Washington, D.C.: Chef Geoff's

Chef Geoff Tracy has locations across Virginia and Maryland, so it only made sense for him to have an outpost where travelers could experience his food upon landing (or pre-takeoff). The menu is classic American with a twist, with snacks like Caesar fries with Parmesan and Caesar dressing, and honey sriracha cauliflower. Salads, burgers and sandwiches round out the meal, with a smattering of larger entrees like wasabi-crusted salmon or a crispy shrimp rice bowl.

Chicago O'Hare International Airport: Tortas Frontera

Terminal 1, B11, Terminal 3, K4, Terminal 5, M12

Ask any Chicagoan what their first stop is after landing at O'Hare and they're likely to name this Rick Bayless torta shop. For those passing through, it's a worthy detour for breakfast options like an egg-and-chorizo torta or lunch picks like the pepito with braised short rib or the mushroom and goat cheese option. As is typical of Bayless operations, all the meats and produce come from local farms &mdash a fact proudly displayed on the menu.

George Bush Intercontinental Airport: Hugo's Cocina

Chef Hugo Ortega's restaurant Hugo's has been a staple in the Houston area since 2002, and his airport location serves some of the same authentic regional Mexican food on the fly. It's a great place to stop if you can't make it into the heart of the city, letting you sample the James Beard Award-winning chef's cooking with dishes like Tacos de Camarones filled with bacon-wrapped shrimp stuffed with cheese, and Enchiladas de Pollo filled with smoked chicken and smothered with tomatillo sauce.

Chicago Midway International Airport: Arami

Concourse A Food Hall

Chicago's smaller airport overhauled its offerings to better represent the culinary diversity of the city. One of the resulting additions was an outpost of a popular sushi joint located in the West Town neighborhood. Here you'll find freshly rolled sushi &ndash the signature maki and sashimi that the restaurant has become known for. It can all be washed down with a variety of sake, beer or wine.

John Wayne Airport, Orange County, California: Javi's

Terminal C International Gates

Southern California indulges in Mexican food at Javier's, so it was a no-brainer to bring a slightly more casual outpost of the restaurant to the Orange County airport. Sustainable seafood is a priority here and can be found in indulgent dishes like seafood enchiladas with tomatillo sauce. Cozy up in the oversized leather banquettes, enjoying a nice respite before the cramped confines of the airplane.

Sacramento International Airport: Esquire Grill

One of Sacramento&rsquos favorite downtown dining establishments brings a curated menu to the airport for those looking to get a little local Northern California flavor on their way out of town. The flavors skew fresh in dishes like grilled artichoke with a creamy lemon dipping sauce, and grilled salmon with a cherry tomato salsa and seasonal vegetables. The kitchen utilizes as many ingredients as possible from local farms.


Assista o vídeo: Philadelphia Airport PHL Walkthrough Tour from Concourse C to Concourse B (Dezembro 2022).